Em uma entrevista de emprego, o candidato é avaliado a todo instante, desde a sua roupa ao entrar no local, até mesmo a forma de falar. Sendo assim, não seria estranho que, no momento da entrevista, algumas perguntas possam ser feitas para testar sua inteligência emocional. Sabemos que a ansiedade e até a falta de preparo pode eliminar todas as suas chances de ser bem-sucedido em um processo seletivo. 

Pensando nisso, reunimos neste artigo tudo o que você precisa saber sobre inteligência emocional, bem como alguns exemplos de questões que podem aparecer na entrevista, para que você possa se preparar. Boa leitura!  

O que é inteligência emocional? 

o que significa inteligência emocional.
O que significa inteligência emocional? | Foto: unsplash.com

Habilidades técnicas e comportamentais são fatores importantes quando falamos de entrevista de emprego. No entanto, outras características contribuem muito para que o candidato possa ter um perfil ideal para o cargo, entre elas está a inteligência emocional.

Trata-se da capacidade de identificar e fazer a gestão de suas próprias emoções. Bem como de estar ciente sobre o estado emocional de outros. Inteligência emocional também significa ter ciência sobre as respostas emocionais que podem afetar seu pensamento e comportamento.  

Em outras palavras, a inteligência emocional (IE) pode ser definida como a forma com que gerenciamos, controlamos e direcionamos as nossas emoções, e também como lidamos com as emoções dos outros. E não apenas isso, a inteligência emocional também inclui a forma como interagimos com as nossas emoções que, por sua vez, tem repercussões em quase todos os aspectos de nossa vida. 

De acordo com o psicólogo, jornalista e estudioso da inteligência emocional, Daniel Goleman, a IE pode ser subdividida em cinco habilidades. São elas: 

  1. Autoconhecimento emocional, ou seja, a capacidade para identificar as próprias emoções.
  2. Controle emocional.
  3. Automotivação.
  4. Capacidade de saber lidar com as emoções, bem como para canalizar essas emoções para algo bom. 
  5. E reconhecimento das emoções em outras pessoas, ou seja, se sentir empatia. 

Para isso, há quatro domínios básicos da inteligência emocional: 

  1. Percepção das emoções.
  2. Raciocínio por meio das emoções.
  3. Entendimento das emoções.
  4. E gerenciamento das emoções. 

Inteligência emocional e entrevista de emprego: qual a relação? 

No ambiente de trabalho, é fundamental saber como administrar imprevistos, lidar com pessoas difíceis e administrar o estresse e os desafios diários. Além disso, pessoas que apresentam alta inteligência emocional tendem a ser mais focadas, confiantes, flexíveis e trabalham com foco nos resultados. 

Ter inteligência emocional também é ideal para expandir o pensamento, melhorar a criatividade, aumentar a precisão e a previsibilidade, além de saber como resolver problemas.

Por isso, é tão importante aprender sobre esse conceito, de modo que, após ser contratado, você possa oferecer resultados mais satisfatórios, conforme os objetivos da organização. 

Um exemplo prático sobre a importância da IE em processos seletivos:

importância da inteligência emocional em processos seletivos
Importância da inteligência emocional em processos seletivos. | Foto: unsplash.com

Vamos imaginar que depois de muito tempo se preparando e se especializando, você encontra a vaga de emprego dos seus sonhos. Você preenche todos os requisitos, e a experiência exigida parece que foi retirada do seu próprio currículo. Então, você submete o seu currículo e torce para que dê tudo certo. 

Após dias de espera, testes online e muita ansiedade, a empresa te convida para uma entrevista de emprego. Nesse momento, você já acredita que a vaga é sua!

Na data e hora marcada, você comparece confiante na entrevista, até que o recrutador te pergunta: “quais dos nossos serviços você mais gostou e se identificou?” Você estava tão confiante ao ler a descrição da vaga que se esqueceu de fazer a lição de casa: a pesquisa prévia sobre a empresa. 

O que você faria nessa situação?

O que faltou para que você desse a melhor resposta possível? 

A resposta é simples: inteligência emocional para lidar com a euforia de encontrar a vaga dos seus sonhos, somada a uma confiança que te fez acreditar que estava pronto para qualquer situação, certo? 

É nesse momento que IE é tão importante em uma entrevista de emprego, e você deve estar preparado para demonstrar que consegue administrar e lidar com suas emoções para o entrevistador. Assim, ele saberá se você é – ou não – capaz de lidar com os desafios na rotina da organização. 

Mas, como aplicar a inteligência emocional em entrevistas de emprego? Continue lendo para descobrir.  

Passo a passo para demonstrar inteligência emocional na entrevista de emprego

É muito comum que as pessoas fiquem nervosas em entrevistas de emprego. Principalmente se não estiverem devidamente preparadas, como mencionamos no exemplo acima. Porém, ao considerarmos que uma contratação deve ser assertiva, é fundamental que o candidato consiga não só demonstrar suas habilidades técnicas e comportamentais, como também seu nível de inteligência emocional. 

Quantas vezes você sentiu que poderia ter se saído melhor em uma entrevista de emprego, por exemplo, se tivesse conseguido controlar melhor as suas emoções? 

Quando você está em busca de um emprego, precisa saber que a IE pode ser demonstrada a partir da empatia com a sua própria jornada durante a seleção. Também é importante expressar sinceridade nas respostas objetivas. Tanto o candidato quanto o recrutador têm expectativas sobre esse momento. Pois, o candidato tem a chance de conseguir a vaga dos sonhos, e o recrutador por ter que fazer uma seleção assertiva para a empresa.

Pensando nisso, separamos aqui neste tópico um passo a passo fundamental para te ajudar a demonstrar que, além de um currículo bom, você também tem um alto nível de inteligência emocional para lidar com os desafios e adversidades que surgem na rotina empresarial. Confira:   

Primeiro passo: identifique as emoções

identifique suas emoções
Aprenda a identificar suas emoções. | Foto: unsplash.com

Antes de saber como dominar as emoções e modificar a influência que elas têm sobre suas atitudes, é preciso aprender a identificá-las. Uma forma de fazer isso é se questionando – ou seja, através do autoconhecimento. O que te deixa triste, feliz, ansioso, irritado ou motivado?

E ainda, em que situações as emoções falaram mais alto do que as suas atitudes? Situações do ambiente de trabalho e até mesmo nas relações pessoais, por exemplo.

A observação aqui é fundamental. Passe a prestar atenção na forma como você lida com situações de estresse, em uma entrevista e até mesmo em sua casa. Dessa forma, você saberá como lidar com os impulsos, pois, já se conhece o suficiente para entender como reage em diferentes situações.  

Após conseguir identificar, existem alguns métodos que podem te ajudar nas fases seguintes: como o controle emocional e a canalização das emoções.

Por exemplo, para que a ansiedade não te impeça de realizar as atividades do dia a dia, faça uma lista de tarefas. Aprenda a fazer pausas para amenizar os sintomas do estresse, e por aí vai. Identificar formas de controlar as emoções, também é um passo fundamental.   

Segundo passo: aumente sua autoconfiança e aprenda a lidar com a pressão 

Depois que você soube identificar as emoções e as ferramentas para controlar, é importante que você reconheça quais são seus pontos fortes e fracos para saber como trabalhá-los e aperfeiçoá-los.

Portanto, tenha consciência sobre os seus objetivos, trabalhe o seu potencial e estimule as suas ideias, assim, aumentando a sua autoconfiança. Além disso, a percepção sobre as suas emoções irá ajudá-lo a lidar melhor com as pressões e desafios do dia a dia. Com a inteligência emocional sendo desenvolvida, você irá aprimorar sua habilidade de tomada de decisões, evitando que a emoção seja maior que a razão.  

Terceiro passo: entenda quais são as habilidades procuradas 

pesquise sobre as habilidades buscadas nos candidatos
Pesquise sobre as habilidades buscadas nos candidatos. | Foto: unsplash.com

Em cada processo de seleção, será necessário analisar as habilidades que estão vinculadas aos valores e objetivos da empresa. Estudar esses pontos é fundamental, por isso, você não deve esquecer de fazer a lição de casa: pesquisar sobre a empresa.

Não existe uma receita de bolo a ser seguida por todas as empresas na hora de avaliar a IE de um candidato. No entanto, há alguns pontos que são frequentemente avaliados, tais como:  

  • Empatia: aqui, a empresa identifica a capacidade que o candidato tem em reconhecer, interpretar e usar as emoções de outras pessoas. Ser empático é se colocar no lugar do outro, e é uma das qualidades que não pode faltar em um ambiente organizacional, pois, contribui com o clima, e um relacionamento mais saudável entre os membros da equipe.
  • Habilidades sociais: várias competências socioemocionais são avaliadas nas entrevistas de emprego. Isto é, a forma como você resolve conflitos físicos e verbais, sua capacidade de negociar e a tendência a cooperar não devem estar de fora. 
  • Autoconhecimento: será que você realmente consegue perceber, identificar e nomear as suas próprias emoções?
  • Autocontrole: para avaliar o autocontrole, a empresa irá propor vários contextos de trabalho, onde o candidato terá que demonstrar e explicar a sua capacidade de gerenciar as emoções que essas situações geram. 
  • Motivação: por fim, a empresa poderá investigar a capacidade que o candidato tem de enfocar a conquista de objetivos e seu modo de fazer, bem como a superação de falhas e assimilação de aprendizagens consideradas como emocionalmente intensas. Aqui a empresa também pode avaliar a capacidade que o candidato tem de motivas os outros.

Quarto passo para demonstrar inteligência emocional na entrevista: se expresse

O nervosismo e a ansiedade frente a uma entrevista de emprego pode te forçar a demonstrar uma postura rígida e controlada. No entanto, saber expressar as suas emoções é um ponto fundamental para conseguir demonstrar que você tem altos níveis de IE. 

Expressar as suas emoções também abre espaço para que você crie uma conexão com o entrevistador. Além disso, expresse a sua opinião de forma racional, e sempre pautada nos seus conhecimentos. Ao expor um problema, já apresente uma solução e a forma como você lidaria emocionalmente com este. Isso nos leva ao quinto passo:

Quinto passo: não tenha medo de falar sobre conflitos

Uma das características frequentemente analisada em entrevistas de emprego é a capacidade que o candidato tem de se adaptar a mudanças desagradáveis e trabalhar de forma saudável com os colegas de trabalho. 

Porém, ao invés de só citar que você possui essa capacidade, dê exemplos de quando você precisou usar essas habilidades. Conte algum conflito que você teve ao lidar com algum gestor, cliente ou membro da equipe, por exemplo. Não se esqueça de evidenciar as habilidades sociais necessárias para lidar com a situação. 

Tenho certeza que se você souber expressar o fato de maneira correta, ganhará pontos com o recrutador.   

Sexto passo: mostre que você sabe aprender com os erros e está em constante desenvolvimento 

demonstre que está em constante desenvolvimento pessoal e profissional
Demonstre que está em constante desenvolvimento pessoal e profissional. | Foto: unsplash.com

Uma entrevista de emprego não vai focar só nos seus pontos positivos. Muito pelo contrário! Então, saber quais são suas fraquezas e relevá-las não é um problema. O problema é quando você demonstra fraquezas e não mostra sinais de que está tentando melhorar. 

Portanto, saiba reconhecer seus pontos fracos e deixe claro que você está trabalhando constantemente em prol de seu desenvolvimento pessoal e profissional. E não se esqueça de dar exemplos práticos de como você poderá progredir no futuro.  

Além disso, a honestidade e a abertura do candidato em relação às fraquezas pode contribuir para que ele ganhe a confiança do recrutador. 

Outro ponto importante é mostrar que você consegue aprender com seus erros. Isto é, se o recrutador perguntar sobre alguma situação em que as coisas não deram tão certo para você, não culpe outras pessoas, isso só irá demonstrar que você não tem inteligência emocional para assumir os seus erros e arcar com as consequências. 

Seja sincero, saiba como você reagiu e o que fez para reparar o erro, além de demonstrar o que você aprendeu a partir da situação.   

Sétimo passo e não menos importante: ouça ativamente

Por último, preste atenção antes de responder, concentre toda a sua atenção na pergunta que está sendo feita, e não tenha medo de perguntar caso você não tenha entendido muito bem. Mais vale uma resposta clara e objetiva, do que uma resposta que não tem a ver com o assunto, pois você teve vergonha de esclarecê-la com o recrutador. 

Além disso, é preciso resistir ao desejo de responder à pergunta imediatamento. Afinal, os recrutadores preferem uma resposta cuidadosa, do que uma resposta imediata. Não responder à pergunta impulsivamente, mostra que você sabe como controlar as suas emoções.

Algumas perguntas que testam a inteligência emocional

Antes de finalizar o conteúdo, separamos uma lista com algumas perguntas que testam a inteligência emocional. Anote essas perguntas e, de preferência, anote também as suas respostas. Essa é uma excelente maneira de se preparar para uma entrevista de emprego.

Mas, atenção: também esteja preparado para responder perguntas inesperadas. Cada empresa tem objetivos e valores diferentes, e o roteiro de entrevista pode mudar de acordo com esses fatores.

  1. Conte sobre um dia ou uma situação em que tudo deu errado no trabalho.
  2. O que mais de incomoda nas pessoas? 
  3. Existe algo que você possa me ensinar? 
  4. Fale sobre alguém que você admira, e porque admira. 
  5. Se você fosse abrir uma empresa, quais seriam os seus valores? 
  6. Me conte sobre alguma realização da qual você tem orgulho.
  7. Quais são suas principais habilidades? 
  8. Você mantém amizades que foram construídas em outros empregos? 
  9. Quais são as suas emoções mais frequentes no ambiente de trabalho?
  10. Pense em duas situações que te causem medo, ansiedade, raiva, tristeza e alegria. 

Por fim, esperamos que este conteúdo te ajude a ter uma entrevista cada dia melhor, de modo a alcançar seus objetivos profissionais. 

Ei, não vá embora ainda! Você está em busca das melhores oportunidades do mercado? Clique aqui e cadastre seu currículo gratuitamente, e tenha acesso ao nosso banco de currículos e muitos outros benefícios. 

Além disso, aproveite para acompanhar mais conteúdos como este aqui nos outros canais da EMPREGARE: